, ,

Conselho do Idoso de Jarinu pede mais conscientização contra pessoa Idosa

De encontro com o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, comemorado em 15 de Junho, o Conselho Municipal do Idoso (CMI) lembra a população para que se conscientizem mais sobre os assuntos relacionados a pessoa idosa.

De acordo com Zuleika Oliveira, presidente do CMI, o Conselho não trabalha apenas para combater denúncias, porque as pessoas procuram muito mais a Polícia ou a Guarda nesses casos, mas – além disso -, na defesa dos direitos, garantindo qualidade de vida.

“Hoje o Dia é lembrado para sensibilizarmos a sociedade em prol do combate à violência contra idosos, além da violação dos Direitos Humanos. O objetivo é garantirmos o envelhecimento de forma saudável, tranquila e com dignidade”, disse.

Em Jarinu o Conselho do Idoso se reúne na Secretaria de Assistência Social, todas as primeiras segundas-feiras do mês, às 10h, mas as ligações e denúncias, ou – até mesmo – o esclarecimento de dúvidas podem ser feitos diariamente, das 08h00 às 17h00.

Para se informar e saber como denunciar, saiba quais são as formas de manifestação da violência contra a pessoa idosa:

Física: Inclui abuso e maus tratos físicos, que constituem a forma de violência mais visível e costumam acontecer por meio de empurrões, beliscões, tapas ou por outros meios mais letais, como agressões com cintos, armas brancas (ex. facas, estilete) e armas de fogo.

Negligência/ abandono: Negligência é a omissão por familiares ou instituições responsáveis pelos cuidados básicos para o desenvolvimento físico, emocional e social do idoso, tais como privação de medicamentos, descuido com a higiene e saúde, ausência de proteção contra o frio e o calor. O abandono é uma forma extrema de negligência.

Sexual: É qualquer ação na qual uma pessoa, fazendo uso de poder, força física, coerção, intimidação ou influência psicológica, obriga outra pessoa, de qualquer sexo, a ter, presenciar ou participar, de alguma maneira, de interações sexuais.

Econômico-financeira e patrimonial: Consiste no usufruto impróprio ou ilegal dos bens dos idosos, e no uso não consentido por eles de seus recursos financeiros e patrimoniais.

Autoinfligida e autonegligência: Refere-se à conduta da pessoa idosa que ameaça sua própria saúde ou segurança por meio da recusa de prover a si mesma dos cuidados necessários. Nesse caso, não se trata de terceiros que provocam a violência, e sim da própria pessoa idosa.

Psicológica: Corresponde a qualquer forma de menosprezo, desprezo, preconceito e discriminação, incluindo agressões verbais ou gestuais, com o objetivo de aterrorizar, humilhar, restringir a liberdade ou isolar a pessoa idosa do convívio social. Pode resultar em tristeza, isolamento, solidão, sofrimento mental e depressão.