,

Eliane Lorencini participou do lançamento do Índice de Efetividade da Gestão Municipal do TCESP

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo lançou na segunda-feira, dia 09, o Índice de Efetividade de Gestão Municipal (IEG-M) 2017, e contou com a presença de prefeitos, presidentes de câmaras, vereadores e entidades privadas. Entre os prefeitos, destaca-se a presença da prefeita de Jarinu, Eliane Lorencini, que estava acompanhada da secretária municipal de Finanças, Marilsa Lorencini.

Prefeita foi recepcionada pelo Presidente do TCESP, conselheiro Sidney Beraldo

Secretária de Finanças acompanhou a Prefeita no lançamento do IEG-M 2017

 

 

 

 

 

 

 

“O lançamento do IEG-M nos mostra o rumo a seguir. Os dados apresentados são relativos à gestão 2016. Em 2018 começamos a trabalhar com o orçamento estipulado pela nossa gestão, garantindo maior efetividade dentro dos parâmetros estabelecidos”, disse Eliane Lorencini. A Prefeita destacou a queda no Índice principalmente pela crise que o País tem enfrentado nos últimos anos. “A arrecadação caiu, com isso o índice também cai, porém estamos ajustando as contas públicas para direcionar nossa cidade da melhor maneira”

IEG-M

Lançado em 2015, o IEG-M avalia sete áreas públicas: educação, saúde, planejamento, gestão fiscal, meio ambiente, proteção aos cidadãos (quesitos ligados à área da Defesa Civil) e governança de tecnologia da informação.

A partir desse levantamento, os municípios são classificados em faixas de resultado: altamente efetiva (A), muito efetiva (B+), efetiva (B), em fase de adequação (C+) e baixo nível de adequação (C). Exceto pela capital, foram analisadas todas as demais 644 cidades do Estado.

“Cada vez mais os cidadãos reivindicam o acesso legítimo a informações que lhe permitam avaliar os resultados das ações dos gestores públicos”, explicou o Presidente Sidney Beraldo. “Além de contribuírem para o aprimoramento do controle externo e das fiscalizações, os dados do IEG-M podem ser usados pelas administrações como uma ferramenta para a correção de rumos, reavaliação de prioridades e consolidação do planejamento.

Por: AssComPMJ – com informações TCESP