Superação e vontade de vencer leva Carlos Henrique ao pódio no Rio de Janeiro

Atleta do Jiu Jitsu levou medalha de outro no AJP Tour Rio de Janeiro

Muito mais do que levar uma medalha para casa é superar as barreiras, sabendo que – por trás de cada uma delas – existem muitas histórias a serem descobertas e contadas. E assim é a história de Carlos Henrique da Silva, de 38 anos, atleta faixa branca de Jiu Jitsu, da academia Checkmat de Jarinu.

O jovem adulto sagrou-se campeão, na última sexta-feira, dia 04, no AJP Tour Rio de Janeiro, competindo pela categoria Classe C, que é como designam as pessoas que são amputadas de perna. Ele lutou com faixa azul da Grace Barra.

Carlos Henrique, de quimono preto. Foto: divulgação

Segundo o atleta, que começou a treinar há um pouco mais de dois anos, por indicação de um amigo “o Jiu Jitsu é uma arte que muda a vida da pessoa logo na sua primeira aula”. Sorridente ele conta que possui três medalhas de ouro, dos três campeonatos que disputou, e completa que “a deficiência esta nos olhos de quem vê. Nossa superação de limite é diária”.

Orgulhoso, seu treinador, Renaldo Bueno conta que o atleta é responsável, não perde nenhum treino, e não se sente diferente de ninguém, por sinal cobra que o treino seja parecido – ou até mesmo igual. “Para mim é uma experiência muito boa esse desafio, de treiná-lo, porque ensinando a gente aprende, mas apesar da deficiência, ele faz o treino normal com exceção de alguns movimentos que temos que adaptar para as condições dele”, e conclui que ele não é o primeiro aluno, que na cidade de Várzea Paulista tem um outro aluno com deficiência auditiva e a comunicação é feita por sinal”.

“Estamos aqui para incluir e não para excluir, e não há melhor caminho do que o esporte para que isso aconteça”, finalizou Renaldo.