A safra do morango no município de Jarinu não tem queda no período de pandemia

A safra de morango deste ano sofreu um pouco no começo devido às mudanças climáticas, ocasionando a demora no desenvolvimento e frutificação do morangueiro, mas segundo o presidente da Associação dos Produtores de Morango, Osvaldo Maziero, ainda se espera ter uma boa produção até o final do ano.

“Nossa expectativa é de que esse ano a safra produza igual ao ano passado, devido às chuvas do começo do ano houve um atraso na produção, mas agora as vendas estão aumentando e preço do morango não foi desvalorizado”, finalizou Osvaldo.

A produtora Marinalva Cardoso, produz dez mil pés de morangos da variedade Cristal, e está muito animada com a produção deste ano, “Essa variedade que plantei se adaptou muito bem ao nosso clima, produz muito bem e não há tanta necessidade de agrotóxicos, até agora utilizei somente adubos orgânicos e não tive nenhum problema com doenças”.

A expectativa da agricultora para esse ano, é colher até o mês de dezembro mais de 7 mil caixas da fruta, uma média de 3 cumbucas por planta.

O preparo da terra para o plantio na propriedade de Marinalva é feito pela Patrulha Agrícola, serviço oferecido gratuitamente pela prefeitura do município através da secretaria de Agricultura e Meio Ambiente.

As variedades mais produzidas no município são Sandreas, Oso Grande, Camarosa, Cristal e Camino Real, e cerca de 80% das mudas são produzidas no próprio município.

A pandemia não atrapalhou o trabalho dos produtores, pelo contrário, fez com que as vendas aumentassem, tudo o que está sendo produzido está sendo vendido, não havendo nenhuma perda.

Na região há aproximadamente 3 milhões de pés de morangos plantados, em Jarinu houve uma diminuição no número de produtores da fruta com o passar dos anos, mas ainda assim conta com mais de 40 famílias que ainda dependem do cultivo do morango.

FESTA DO MORANGO

A mais tradicional festa do município e região, a festa do morango, foi adiada, mas sem previsão de nova data para acontecer.

Foram 36 anos ininterruptos e para os organizadores ter que adiar essa festa é muito triste, pois além de ser um espaço para que os produtores possam mostrar os seus produtos, a festa divulga a produção de morango não só de Jarinu, mas também de toda a região pertencente ao circuito das frutas.

Para Osvaldo Maziero, “a festa é um brilho na divulgação do morango na região e não ter tido a festa na data marcada foi uma tristeza para gente”.

Diversos produtores vendiam seus morangos na festa e juntos vendiam mais de 25 mil caixas da fruta durante os três finais de semana do evento.

Por Jeriel Rodrigues, estagiário

Supervisão AssCom/PMJ