,

Jarinu ganha Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania

Convênio entre Prefeitura, Judiciário e instituições privadas possibilitou iniciativa

A partir de hoje a população jarinuense possui um local apropriado para a resolução consensual de diversos tipos de conflitos. Foi inaugurado na tarde desta sexta-feira, dia 18 de janeiro, na Avenida da Saudade, no prédio do antigo Fórum, o Centro Judiciário de Soluções de Conflito e Cidadania – Cejusc, fruto do Poder Judiciário, local onde os  munícipes encontrarão atendimento especializado e a possibilidade de resolver sua demanda pré-processual – de forma rápida e eficaz, por meio do acordo, da conciliação.

Idealizador do projeto em Jarinu e Atibaia, e coordenador do CEJUSC o juiz Dr. Rogério Aparecido Correia Dias, até o presente momento responsável pela Vara do município, ressaltou – em seu discurso a importância da solução dos conflitos, e agradeceu a Prefeitura de Jarinu, o Brazilian Business Park e a Unifaat por acreditarem na ideia e torna-la realidade ao povo jarinuense.

Em seguida, citando Bert Hellinger, a prefeita Eliane Lorencini fez sua menção ao psicoterapeuta que disse que devemos dizer o que sentimos ao outro, e mesmo que o retorno não ocorra da forma esperada, dizer o que sentimos abre as portas para a libertação. “Dessa maneira somos no Executivo. Muitos me procuraram apenas para desabafar, para expor um problema, e devemos estar atentos a essas pequenas situações.

O desembargador Dr. José Carlos Ferreira Alves também fez uso da palavra e parabenizou o município por abrir as portas para o Cejusc. “Temos mais de 105 milhões de processos em todo país. 30 milhões são apenas em São Paulo. É número exorbitante que não vai acabar tão logo, mas com a conciliação não deixaremos que ele aumente. Estão todos de parabéns. O município que abraça essa causa só tem a ganhar.

Ainda de acordo com o desembargador a população ganha, pois através do Cejusc terão a oportunidade de terem os conflitos solucionados de forma rápida. “Temos um exemplo da cidade de Dracena, no interior, que em 8 meses conciliou 350 casos de paternidade sem precisar ir para justiça. Quando falamos em números entra pai, mãe, filho, toda família, ou seja, mais de 1500 pessoas beneficiadas em tão pouco tempo. Um processo que demoraria mais de 1 ano, foi feito em menos de 1 mês”, e finalizou citando o psicoterapeuta Carl Jung quando disse que devemos conhecer todas as teorias, dominar todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana devemos ser apenas outra alma humana.

Cejusc

Selma Soranz, funcionária da Prefeitura de Jarinu, designada para o órgão, explicou que o Cejusc estará aberto diariamente, a partir do dia 21 de janeiro, das 09h às 17h, sem intervalo para almoço. Lá o munícipe poderá procurar auxílio gratuito para solucionar o seu conflito, desde que não seja trabalhista ou criminal.

Selma Soranz será a responsável pelo atendimento ao público, ela que passou por treinamento no Cejusc em Atibaia durante três meses.

“Atendemos todos os tipos de conflitos. No setor de processos são feitas audiências de conciliação entre as partes e mediação em processo que estão na justiça. O interessado nos procura, enviamos carta-convite para a outra parte comparecer no dia agendado para uma sessão de conciliação, podendo ou não comparecer para conciliar – digamos que é uma conversa de acordo – porém validada pelo juiz. Feito isso, o juiz assina e o munícipe já sai com seu problema solucionado em menos de 30 dias, o que poderia – na justiça comum, demorar mais de um ano”, enfatizou Selma Soranz.

O Cejusc também atenderá a população com serviços de orientação no setor de cidadania, aonde é realizado o primeiro contato do cidadão com o Centro Judiciário, sendo fornecidas informações e orientações sobre o seu caso.

Por exemplo: exame de paternidade. De acordo com Selma Soranz “a parte nos procura, para um caso Investigação; reconhecimento de paternidade; dissolução e reconhecimento de União estável; divórcio; brigas de vizinhos; compra e venda; descumprimento de obrigações; guarda de menor . Tudo o que pudermos conciliar estaremos ajudando a população”, finalizou

Toda a parte de conciliação é feita por conciliadores advogados, ou não, que fizeram o curso do Cejusc, com estágio, em Atibaia. Todos estão preparados para atender a população. Não tendo acordo, após a conciliação o processo pode ou não ir para justiça comum, através da OAB ou diretamente no Fórum da cidade, mas o Cejusc estará conciliando para que seja tudo solucionado da melhor forma possível.

Participaram da solenidade de inauguração, além das autoridades destacadas, o vice-Prefeito de Jarinu, Cláudio Catroque, o presidente da Câmara de Jarinu, Rodrigo Batistel, vereadores do município, prefeitos e vice-prefeitos da região do Aglomerado Urbano de Jundiaí, e do Circuito entre Serras e Água, Banda Filarmônica 17 de abril, Coral Canto e Riso, do Grupo Stella Bianca, autoridades do judiciários, funcionários do Fórum e do Cejusc Atibaia, secretários municipais, autoridades da Polícia Militar do Estado de São Paulo, representada pelo Major Liberato, Comandante do 49º BPM/I, Ricardo Oliveira Mota – Capitão Comandante da 3ª Cia, e Haroldo Nani Campos, sargento da PM de Jarinu. Também estavam presentes a Guarda Municipal de Jarinu, representada pelo comandante Alexandre Garcia, Departamento de Trânsito, representado pelo chefe do setor, Pedro Júnior, Dra. Lisangela Ferreira, representando o BBP Jarinu,  Dr. Ronnie Soares, juiz assessor da Vice Presidência do Tribunal de Justiça de São Paulo, além de magistrados da região e da nova juíza, que assumirá a Vara de Jarinu, a partir de segunda-feira, dia 21, Dra. Isadora Botti Beraldo Montezano,