Secretaria de Saúde emite nota explicativa sobre quem deve receber a vacina contra o Sarampo

A Secretaria de Saúde de Jarinu, através da Vigilância Epidemiológica, vem por meio desta nota informativa, esclarecer quem deve receber a vacina contra o Sarampo, frente aos casos notificados e diagnosticados no Estado de São Paulo.

O Sarampo é uma doença infectocontagiosa grave causada por um vírus que é transmitido através das secreções respiratórias e que provoca inflamações generalizadas nos vasos sanguíneos. A doença havia sido erradicada no Brasil, porém o vírus vem circulando no país desde 2018.

A vacinação contra o sarampo é a única forma de prevenção contra a doença, e só será erradicada se 95% da população estiver vacinada.

De acordo com o Ministério da Saúde, quem deverá ser vacinado:

  • Todos os indivíduos entre 1 e 29 anos de idade devem ter duas doses da vacina contra o sarampo;
  • Adultos entre 30 e 49 anos, sem comprovação de nenhuma dose da vacina, devem receber pelo menos uma dose da vacina tríplice viral (SCR), que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola;
  • Profissionais da área da saúde, devem receber duas doses da vacina (SCR), de 30 dias entre elas;
  • Todos os viajantes que não apresentem prova de vacinação ou imunidade recebam a vacina de sarampo, caxumba e rubéola (SCR) — pelo menos duas semanas antes do deslocamento para áreas onde a transmissão do sarampo foi documentada;
  • A vacinação de rotina de crianças maiores, adolescentes e adultos que não tenham comprovação de vacinação prévia, deve ser fortemente incentivada. São considerados adequadamente imunizados aqueles que apresentarem duas doses da vacina contra o sarampo, com intervalo mínimo de um mês entre elas e aplicadas acima de 1 ano de idade;

Quem não deve tomar a vacina:

  • Crianças menores de seis meses de idade, gestantes e pessoas em estado de imunossupressão;
  • Como há vários graus de imunossupressão e frente ao risco epidemiológico, a indicação da vacina deve ser discutida com o médico especialista que acompanha o paciente, mediante decisão compartilhada de planejamento para que a vacina seja realizada de forma segura e eficaz.

Vigilância Epidemiológica